quinta-feira, 13 de julho de 2017

Justiça com auxílio de perícia inocenta clínica veterinária por necrose e amputação de dedos da cadela


A cachorrinha que não conseguia urinar, alimentar e beber água foi levada a clínica veterinária. Após a coleta de sangue, a tutora foi informada que deveria ficar internada para exame de ultrassonografia.

a médico veterinária retornou a tutora informando que suspeitava de leptospirose e que deveria levar a cachorrinha imediatamente para sua residência e tratamento. Que tomasse cuidado com uso de luva.  

E que deveria ficar isolada por 10 ou 20 dias até a liberação do resultado do exame e por ser uma doença contagiosa.

A cachorra ficou amarrada pela pata durante o período e ao final a clínica informou que o exame deu negativo. Porém, a pata ficou mais inchada e com o amarração acabou por necrosar chegando a perder os dedos. Levada a outra clínica veterinária, os dedos foram amputados.

As despesas alegadas foram: R$ 1.500 reais na primeira clínica/ré e R$ 2.500 mil reais pela amputação e medicamentos na segunda clínica. Pediu ainda danos morais pelo sofrimento do animal amarrado devido ao diagnóstico equivocado.

Para dirimir dúvida, o juiz recorreu a perícia. O perito disse que “a amputação se deu por razão das ‘amarrações feitas nas quatro patinhas’ e não por erro de diagnóstico da profissional. Afirmou que tanto o diagnóstico realizado quanto o tratamento dispensado foram tecnicamente adequados, considerando a sintomatologia apresentada pelo cão.”
 
Disse o perito que a “solicitação de exames foi correta, a interpretação foi feita com base em dados da anamnese, histórico e exames complementares. A veterinária Ré tomou todas as medidas cabíveis para o quadro de Farofinha, a internação, administração de medicamentos e manipulação adequada,”

Nada constando contra o médico veterinário, restou ao juiz a não condenação do profissional e a tutora arcou com 10% do valor da causa.

TJRS. A.C. 70072548472 (Nº CNJ: 0018962-71.2017.8.21.7000) 2017/Cível. 6ª Câmara. Comarca Erechim

Nenhum comentário:

Postar um comentário