quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Médico veterinário é acusado de erro em aplicação de glicose em gato



         O caso recentemente julgado pela justiça paulista tratou-se de acusação da tutora pela morte de seu gato contra o médico veterinário pela aplicação equivocada de glicose.

      
        O gato havia fugido e passado o dia todo fora, e voltou salivando muito com suspeita de envenenamento ou trauma no abdômen, pois, o animal apresentava sensibilidade abdominal e angústia respiratória

      Acusa a tutora, que o médico veterinário aplicou glicose diluída em soro fisiológico via subcutâneo no gato, e por isso, agiu com imperícia, conforme apontada pelas testemunhas.

     Na instrução, o CRMV – SP respondeu as questões levantadas sobre a quantidade máxima de glicose que poderia ser aplicada em um felino (gato) macho, de aproximadamente quatro anos e oito quilos; o local correto da aplicação; se as duas vias, subcutânea e endovenosa seriam aceitas; e se em algum dos casos poderia ser diluída no soro fisiológico e em qual proporção.

        Com resposta, a comissão de clínicos de pequenos animais da entidade em questão, informou “que uma solução glicosada a 5% pode ser administrada em felinos, por vias subcutânea e/ou endovenosa, podendo ainda ser diluída em solução fisiológica, se necessário, e a dose a ser utilizada em um felino de 8 Kg, 4 anos, dependendo do seu quadro clínico, poderá chegar a 250 ml/dia”

          Por fim, o Tribunal absolveu o médico veterinário.

T.J.S.P.7ª C.D.P. nº 0347722-45.2009.8.26.0000

Nenhum comentário:

Postar um comentário