terça-feira, 17 de setembro de 2013

A escolha do médico veterinário?

Escolha do veterinário deve ser criteriosa para evitar problemas         A matéria foi veiculada em 27/04/2013 com o título "Escolha do veterinário deve ser criteriosa para evitar problemas" da reporter Izabela Ventura - Hoje em Dia - R7.

     
        Atos de imprudência, imperícia e negligência cometidos por médicos veterinários estão na mira do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais (CRMV-MG), que alerta: é preciso atenção ao escolher os profissioais que vão cuidar da saúde do pet.
                            
 Mel e Friska recebem atendimento na 
 UFMG, referência em veterinária em BH

      A entidade reforça a preocupação após a condenação de uma profissional, em Amparo (SP), por erro médico. O caso ocorreu em 2011 e foi julgado em fevereiro em primeira instância, cabendo ainda recurso. A sentença não foi inédita, mas gerou grande repercussão nacional. O poodle Fred, de 5 anos, morreu após um procedimento de retirada de tártaro. A veterinária teria sido negligente ao deixar de fazer um hemograma no animal antes de dar a anestesia geral. O exame poderia ter detectado alterações no sangue.
          
       Em Minas, também tramitam ações na Justiça relacionadas a erros veterinários, diz o presidente do CRMV, Nivaldo da Silva. Elas seriam motivadas pelo sentimento de perda dos donos, que tratam os bichos, cada vez mais, como membros da família.

Consequências

       O professor de direito civil constitucional e empresarial da PUC Minas, Hugo Rios Bretas, diz que, se constatado um erro veterinário, o dono do pet pode pedir indenização por perdas e danos morais e materiais, amparado pelo Código de Defesa do Consumidor ou pelo Código Civil.

       O veterinário também pode ser acusado de crime ambiental (contra a fauna), ficar sujeito a multa ou até a prisão, dependendo da violência do ato. Em instância mais grave, se comprovado que ele teve intenção de machucar o animal, pode ser enquadrado no Código Penal e até preso.

       Já o CRMV pune esses casos com advertência, censura pública, suspensão ou cassação do registro profissional, como prevê o Código de Ética.

       Sobre o caso Fred, o presidente do conselho não acusa nem defende a médica envolvida, mas diz que variáveis podem interferir na saúde do animal. “Às vezes, ele chega para determinado procedimento com um quadro sem sintomas, mas que acaba se agravando”, ressalta.

FONTE:
HOJE em dia 
http://www.hojeemdia.com.br/minas/escolha-do-veterinario-deve-ser-criteriosa-para-evitar-problemas-1.117309

Um comentário:

  1. De fato. Sou veterinária e meu conselho aos proprietários de animais domésticos é: ASSUMAM A POSTURA DE POSSE RESPONSÁVEL EM PRIMEIRO LUGAR! SE VOCÊ NÃO TEM CONDIÇÕES DE POSSUIR UM ANIMAL, NÃO POSSUA! AFINAL DE CONTAS ELES GERAM GASTOS E PRECISAM DE CUIDADOS TANTO QUANTO UM SER HUMANO. Aí então, escolham criteriosamente o médico veterinário que cuidará do seu animal. Certifique-se de que você confia no trabalho dele. NÃO DEIXE PARA LEVAR SEU ANIMAL AO VETERINÁRIO APÓS 3 DIAS DA CONSTATAÇÃO DE QUE ALGO ESTRANHO ESTÁ ACONTECENDO! SIGA O TRATAMENTO PRESCRITO POR ELE CRITERIOSAMENTE E NÃO TENTE NEGOCIAR A POSSIBILIDADE DE NÃO REALIZAR EXAMES CASO O VETERINÁRIO JULGUE NECESSÁRIO, OU CASO OS MESMOS TENHAM PRATICAMENTE O MESMO VALOR DE UM ATO CIRÚRGICO!!! Não é "apenas" uma limpeza de tártaro. Nem muito menos "apenas" uma castração. É UM ATO CIRÚRGICO! Por fim, mantenham contato e compareçam aos retornos de consultas no período solicitado pelo seu médico veterinário, e não 3 meses depois. Acreditem: nós fazemos acompanhamento do seu animal! E sejam felizes! Nosso trabalho depende 50% do nosso conhecimento e 50% da colaboração do proprietário.

    ResponderExcluir